As Crônicas da Deusa e da Rosa

Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Yukito em Qua Dez 07 2011, 18:10

Prólogo

Quantas histórias existem no horizonte? Essa pergunta certamente vagará eternamente sem resposta. Nem mesmo os deuses são capazes de determinar quantas lágrimas foram derramadas ou quantos sorrisos se quebraram com o passar dos anos. Quantas novas vidas brilharam no mundo e quantas outras se apagaram para sempre? Que peças do tabuleiro alcançaram a felicidade? Que jogo injusto é esse criado pelo Destino?

A história que contaremos é apenas mais uma história perdida no horizonte. Apenas mais uma memória em meio a tantas outras, um fragmento dos eventos que moldaram o cruel mundo no qual você vive. Talvez seja apenas mais uma mentira contada pelos deuses ou talvez seja o romance mais belo que sua alma inocente já conheceu. Você pode rir ou chorar, prestar atenção ou ignorar, não importa. A história que contaremos foi escrita pelas estrelas e selada para sempre nos confins do céu.

Você acredita no Destino?

Seja qual for sua resposta, ele não te perdoará. A nossa história é sobre isso. As desventuras daqueles que lutaram contra o Destino tentando moldar o seu próprio futuro. Traindo os deuses, eles lutaram bravamente em busca de um sorriso.

Se essa história tem um final feliz?

Você só saberá quando compreendê-la, quando ouví-la até o fim. Está pronta? Prepare sua imaginação e abra o seu coração, a viagem por mais um horizonte começará.

A história de uma deusa que traiu sua linhagem e buscou a luz. A história de uma princesa amaldiçoada. A história de um rapaz em busca de vingança. A história de uma garota fugindo do próprio futuro. A história de pessoas que, assim como você, viveram nesse mundo injusto.

Nós, as narradoras dessa história, não lhe contaremos qualquer segredo. O que diremos através dessa melodia não passa de linhas tortuosas e perigosas tecidas cuidadosamente pelo horizonte. Essa história nasceu durante uma radiante manhã de sol e teve seu fim em uma sombria noite de lua cheia, por isso nós a conhecemos tão bem. E, agora, vamos transmití-la a você.

Eu, Hortense, te mostrarei todos os sorrisos.

Eu, Violette, te trarei todas as lágrimas.

Vamos juntas decifrar essa história?

Olá, pessoal.
Esse é o meu mais novo projeto com título provisório. É BEM provável que eu o mude nos próximos dias ou no decorrer dos capítulos.

Trata-se de um crossover de vários álbuns de Sound Horizon, onde eu tentarei envolver diversos personagens que normalmente não possuem qualquer ligação. Será uma viagem por vários horizontes, por várias tragédias e alegrias. Todos os elementos das histórias criadas pelo Revo devem se unir nessa fic, cujo gênero se baseia na Aventura, mas beira o psicológico, o drama e recebe pinceladas de romance e comédia.

Espero que gostem das Romans que eu lhes contarei através dos próximos capítulos.

OBS: Desculpem qualquer erro ortográfico ou gramatical, não revisei. Escrevi quando tive inspiração no escritório e já enviei.

(E não liguem pelo fato das narradores terem tratado vocês no feminino. Há uma razão para isso.)


Última edição por Yukito em Sab Dez 10 2011, 14:21, editado 1 vez(es)

_________________
As Crônicas da Deusa e da Rosa KagerouKanoSign_zpsd2292466
Yukito
Yukito
Representante do Jimang
Representante do Jimang

Mensagens : 2349
Data de inscrição : 02/08/2010
Idade : 24

http://horizonseekers.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Wispyweed em Qui Dez 08 2011, 14:15

O começo poderia virar narração de primeiro ep de anime ó_ò Mas eu gostei, ME DÁ MAIS, FILHO, SUA MÃE TÁ MANDANDO
Wispyweed
Wispyweed
Shizunda Utahime
Shizunda Utahime

Mensagens : 847
Data de inscrição : 28/12/2010
Idade : 21
Localização : Queensland

http://ultradarkgravity.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Elizabeth em Qui Dez 08 2011, 14:45

MPD feelings com o começo do prólogo As Crônicas da Deusa e da Rosa 674925
Achei bem legal sua ideia; e a narração está excelente~
E que venha o primeiro capítulo ~!
(E não liguem pelo fato das narradores terem tratado vocês no feminino. Há uma razão para isso.)
Há uma razão para me tratar no feminino? *finge que não entende*
Prevejo trollagens <_<
Elizabeth
Elizabeth
Sacrifice
Sacrifice

Mensagens : 611
Data de inscrição : 21/12/2010
Idade : 24

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Maknae em Sab Dez 10 2011, 13:35

Ok, você já sabe disso mas

PQP CARA
TU NÃO FAZ IDEIA DO QUANTO EU QUERO LER ISSO, SERIO.

IDEIA AWESME, PRÓLOGO AWESOME. DO WANT, DO WANT COM A FORRRRRRRÇA DA JUVENTUDE~

TARDE COM O PRÓXIMO CAP E TU MORRE ESMAGADO PELA MINHA ANSIEDADE As Crônicas da Deusa e da Rosa 878771
Maknae
Maknae
Representante da Kaori
Representante da Kaori

Mensagens : 2251
Data de inscrição : 23/11/2010
Idade : 22
Localização : No horizonte infernal do Crato, perto da casa do Shaytan, lá pelo caminho de Abyss, pegando a esquina do apê do Thanatos, sacomé né.

http://brennaland.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por aika_kane em Sab Dez 10 2011, 13:42

... Eu quero OMG
NEM HUMILHA NÉ YUKITÃO .3. GO GO. Q
aika_kane
aika_kane
Baroque
Baroque

Mensagens : 528
Data de inscrição : 13/03/2011
Idade : 21
Localização : Na porta 9~

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Yukito em Ter Jan 17 2012, 12:56

Capítulo 1 ~ A Deusa Exilada
Essa história é uma ficção. No entanto, nem tudo nela foi inventado. Um conto perdido no horizonte e encontrado por nós, que lhe contaremos todas as verdades e todas as mentiras. Nascida no moinho do sol, essa história representa a luta pela vida. Atingindo seu fim no berço da lua, essa história representa a tragédia da morte. Vamos começar?

Caminhava com passos lentos em meios aos arbustos e espinhos, mirando um grandioso e imponente castelo. Sozinha, a bela jovem de cabelos dourados atravessava a deserta cidade em busca de uma solução. Tinha pena daquelas pessoas que, por serem incapazes de se proteger, se viram vítimas de uma terrível maldição. Os boatos de um Reino que havia parado no tempo se espalharam rapidamente, como tinha de ser, mas ninguém parecia ter coragem o suficiente para ir até lá. Alguns diziam que uma terrível bruxa habitava as ruas cobertas por plantas venenosas, outros afirmavam que monstros terríveis habitavam aquele lugar esquecido pelo mundo. Isso certamente era o bastante para afastar qualquer pessoa, tornando eterno o sono daqueles pobres humanos aprisionados.

Felizmente, aquela mulher não tinha medo. Aquele tipo de sentimento não fazia parte de sua essência, ela nunca o conheceu e certamente nunca o conheceria. Tratava-se de algo humano demais para uma criatura como ela. No entanto, sua humanidade se mostrava grandiosa na compaixão pelos habitantes daquele reino e pelo respeito à vida, valores que nunca deveriam tê-la alcançado. Mas ela os buscou e os alcançou, como uma verdadeira guerreira. Ela lutou contra todos ao seu redor e provou aos deuses a sua genialidade e integridade, conquistando aquilo que nunca haviam alcançado. A liberdade.

Aeolia, uma das seis filhas de Harmonia, não era uma deusa qualquer. Ela observou o mundo atenciosamente durante toda sua existência divina, estudando os humanos e suas decisões, assistindo de perto as mais variadas histórias. Como obra do destino, o grande protagonista e, ao mesmo tempo, antagonista dessa história, ela se viu completamente ligada ao mundo humano. A deusa havia se apaixonado por aquilo que era inferior a ela. Do que adiantava ter a eternidade pela frente se as belezas da existência não se encontravam no paraíso no qual ela habitava com suas irmãs? Os seus dias se resumiam a encantar o horizonte com melodias junto de suas irmãs, o que a fazia questionar sobre a verdade razão de existir.

“Por que eu existo se não posso ao menos viver?”

Foram suas palavras ao confessar seus mais íntimos desejos à Ionia, a mais velha das irmãs. O que obteve como resposta foi a agressividade e a incompreensão. O mundo dos deuses era conservador demais para suportar idéias visionárias como aquela. Uma deusa vivendo dentre os humanos não era uma opção. E nunca seria. Entretanto, a força de vontade de Aeolia era muito maior do que todo o convencionalismo divino. A discussão com sua irmã provocou uma onda de choque na harmonia entre elas, trazendo para o seu lar um pesado ar de tensão. Todas as outras irmãs tentaram interferir, mas já era tarde. Em um ato impulsivo, Ionia expulsou a sonhadora deusa da Irmandade.

“Não posso aceitar que uma de minhas irmãs, que carrega nas veias o sangue divino, deseje viver entre os humanos! Esse é um pecado impagável! Você não é digna de cantar ao nosso lado!”

Aquelas palavras foram o ápice do confronto. As outras irmãs nada puderam fazer a não ser observar uma de suas irmãs se afastar, prometendo nunca mais voltar. Aeolia sentiu a dor da rejeição naquele dia em que o céu se tornou avermelhado. O desequilíbrio dos deuses causa o desequilíbrio do mundo, o que tornava aquele conflito ainda mais grave, tornando necessária a intervenção de Harmonia. Se algo não fosse feito, o equilíbrio do mundo poderia ser comprometido e nenhuma delas seria perdoada do julgamento dos outros deuses, o que provocaria ainda mais discórdia nos céus. Dizendo adeus à sua filha, Harmonia a exilou do Mundo dos Deuses, tirando dela o título de Deusa e aprisionando-a no Mundo Humano. Sem nenhuma dignidade, sem nenhuma honra, abandonada por todos que antes lhe acolheram, Aeolia havia se libertado do peso da eternidade, mas havia perdido sua magnitude como deusa.

Ela sofreu, mas não chorou. Não se arrependia de nada e, por mais que sentisse falta de suas irmãs, estava feliz. Aeolia sentia que nunca estaria completa se não tivesse antes experimentado o sabor de viver como uma pessoa comum. À partir daqueles eventos, ela poderia provar os sabores do mundo, sentir a luz do sol sobre sua pele, a gélida brisa do inverno, o ar lhe preenchendo os pulmões... Pela primeira vez, ela havia se sentido viva. No fundo, queria que suas irmãs estivessem ali para compartilhar daquele momento único, mas logo percebeu o quão impossível seu desejo era. Devia estar satisfeita por ter tido essa chance e dar o melhor de si naquela nova fase de sua existência. Dessa vez não como deusa, mas como uma semideusa, digna de caminhar entre os humanos e se igualar a eles. Muitas vezes ela se perguntou se aquilo não passava de um sonho seu...

Voltando ao Reino adormecido, Aeolia já havia chegado ao castelo, coberto quase que completamente por plantas repletas de espinhos. Seriam mesmo venenosos como diziam a lenda? A semideusa sinceramente não se preocupava com isso, afinal o que ela tinha a temer? Sua resistência era maior do que a de uma pessoa comum e sua coragem era a maior de suas virtudes.

- Finalmente cheguei. – Disse para si mesma com satisfação – Ora, ora, plantas. Não me importa se são venenosas ou carnívoras, simplesmente saiam do meu caminho. Ou preferem provar do veneno de minha espada? – Lançou um desafio às plantas, mesmo sabendo que elas nunca a responderiam.

Investiu contra as plantas com maestria, movendo graciosamente sua espada prateada. Abria caminho entre os espinhos com agilidade, correndo livremente por entre o emaranhado verde. Em poucos segundos chegou à grande porta de madeira do castelo, atualmente fechada. Aeolia sorriu diante do desafio e, sem qualquer preocupação, socou a porta com sua força incomum. O ruído de destruição ecoou pelo salão do castelo enquanto fragmentos de madeira despencaram no chão.

Triunfante, Aeolia adentrou o castelo selado pela maldição. Olhou ao redor, analisando o terreno e constatou que a sua luta com as plantas ainda não havia terminado. Aquilo a deixava ainda mais empolgada e disposta a despertar o reino e trazer de volta o sentido na vida de tantas pessoas. Tanto o objetivo da aventura, como a própria aventura excitavam a jovem semideusa, que continuou abrindo caminho na vegetação à medida que avançava pelos corredores do castelo.

Não sabia exatamente para onde ir, mas deixava os seus instintos guiarem seu corpo, mesmo na escuridão. Era algo que sempre funcionava, talvez mais umas de suas habilidades como semideusa. Os boatos diziam que aquela maldição havia sido lançada a uma bela princesa que, castigada pela magia negra de uma terrível feiticeira, dormiria eternamente até que um dia seu príncipe viesse lhe acordar. Parecia que os príncipes não eram bravos o bastante para chegar até ali e isso divertia Aeolia, que, além de ser uma mulher, não tinha qualquer requinte ou prestígio. Aparentemente, era apenas uma bela jovem de cabelos longos e parcialmente ondulados, vestindo uma simples e esvoaçante roupa de tecido branco com detalhes azul-esverdeados na cintura e no topo cabeça. Nos pés, apenas um par de sandálias. Uma pessoa comum diante dos olhos da maioria, que nunca seria digna de pisar em um castelo daqueles.

Mas ela era o príncipe que salvaria o Reino. Ou pelo menos era essa sua intenção.

Parou diante de uma porta de madeira após destruir centenas de plantas pelo caminho, mas isso não a deixou cansada, apenas ainda mais excitada para descobrir o que se encontrava atrás daquelas paredes. Sua intuição não mentiria para ela, que podia sentir o cheiro de magia negra vindo daquele lugar. Sorriu e abriu a porta lentamente, deparando-se com uma rústica e estreita escada espiral que, mesmo no escuro, parecia muito convidativa. Cautelosamente, subiu degrau por degrau, sentindo o cheiro de rosas tomar conta do ambiente, enquanto a ansiedade parecia lhe corroer. Estava mais perto do que imaginava e, em breve, encontraria algo que mudaria o seu destino para sempre...

Aeolia chegou ao topo da torre e observou o ambiente com atenção, conseguindo uma melhor visibilidade pela luz do sol que adentrava por uma fresta na janela. Teias de aranha, móveis velhos e alguns quadros na parede. Em um dos cantos do ambiente, um tear solitário parecia abandonado pelo tempo. E, ao lado dele, adormecida e amaldiçoada, uma pela princesa envolta em rosas.

E esse foi o momento em que dois horizontes distintos se cruzaram.

E uma nova história estava prestes a ser criada.

Boa leitura~
E não, o gênero da fic não é Romance. E sim, vários outros personagens irão surgir.

E um biscoito pra Paula que revisou o texto pra mim As Crônicas da Deusa e da Rosa 860515


Última edição por Yukito em Ter Jan 17 2012, 16:34, editado 1 vez(es)

_________________
As Crônicas da Deusa e da Rosa KagerouKanoSign_zpsd2292466
Yukito
Yukito
Representante do Jimang
Representante do Jimang

Mensagens : 2349
Data de inscrição : 02/08/2010
Idade : 24

http://horizonseekers.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Paula Roveroni em Ter Jan 17 2012, 16:11

Oi, Aeolia-tettere é puro amor. joirgjiorjortjiotrjio

Esqueci de comentar a fic depois que dei minha revisada fail -q No começo, achei que seria só uma fanfic de comédia, e você me surpreendeu preenchendo vários pontos com "drama", por assim dizer. (não exatamente drama, mas com uma profundidade incrível.) Sério, eu nunca imaginaria as Harmonias de um modo tão.... Como posso dizer.... Tão rígido.

De qualquer forma, espero que sua preguiça suma e você continue a fic, ela merece, ela está pedindo para ser escrita, consegue ouvi-la? Eu consi-- ok, parei. *vai embora*
Paula Roveroni
Paula Roveroni
Ori no Naka no Yuugi
Ori no Naka no Yuugi

Mensagens : 1573
Data de inscrição : 07/08/2010
Idade : 22
Localização : Dentro de uma gaiola, me perguntando quem está mentindo no mundo de Roman.

http://elysiun.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Wispyweed em Qua Jan 18 2012, 18:19

Paulatsun escreveu:De qualquer forma, espero que sua preguiça suma
Que preguiça? Meu filho não vai ter preguiça de continuar essa fic. Que por sinal, tá foda.

Né, filho? Você não vai ter preguiça... Né? As Crônicas da Deusa e da Rosa 178520
Wispyweed
Wispyweed
Shizunda Utahime
Shizunda Utahime

Mensagens : 847
Data de inscrição : 28/12/2010
Idade : 21
Localização : Queensland

http://ultradarkgravity.tumblr.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Aku no Hana em Qua Jan 18 2012, 20:14

Eu não sou muito de ler fics, sinta-se honrado, nanico. As Crônicas da Deusa e da Rosa 58431

Você escreve muito bem. Eu...... Adorei e <3 Aeolia-Tettere for the win e.... realmente as Harmonias.... tensas >:
Aguardo o próximo capítulo~
Aku no Hana
Aku no Hana
Sacrifice
Sacrifice

Mensagens : 647
Data de inscrição : 02/10/2011
Idade : 23
Localização : Vagando pelo universo, shippando planetas.

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Koneko em Seg Out 08 2012, 06:30

Porque diabos eu tenho preguiça de ler as fics daqui? Olha que fic perfeita, é.
Koneko
Koneko
Ori no Naka no Yuugi
Ori no Naka no Yuugi

Mensagens : 1263
Data de inscrição : 01/01/2011
Idade : 22
Localização : Nas terras distantes de Alagësia passando as férias na colina meio-sangue

Voltar ao Topo Ir em baixo

As Crônicas da Deusa e da Rosa Empty Re: As Crônicas da Deusa e da Rosa

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum